10/06/2013

Quando faltam forças


Texto base: Livro de Jó.


                Sem forças e sem condições de sequer pronunciar uma palavra. Quem nunca se sentiu assim? Situações difíceis assolam nossas vidas desde que o mundo é mundo. O que varia, no entanto, é a forma como lidamos com essas situações. Alguns procuram um psicólogo ou um médico. Outros preferem recorrer às diversões mundanas para “esquecer os problemas”. E nós cristãos? Recorremos a Deus. Mas e quando a dor é tão forte que você não sabe nem ao menos o que dizer para Ele? É sobre isso que vamos falar hoje.

            Recentemente, a colunista que vos escreve passou por uma situação complicada. Uma sucessão de desapontamentos e expectativas frustradas me fizeram perder o chão. Desesperadamente, tentei consertar as coisas do meu jeito. E como um castelinho de areia, vi sonhos e projetos de anos desmoronarem na minha frente - nada do que eu fizera pôde impedir isso. Pra mim foi o fim do mundo. A dor que senti era tão forte que ao tentar orar, as palavras não saíam. Eu só conseguia chorar e chorar e cada vez que eu chorava menos condições de orar eu tinha. Eu só conseguia dizer a Deus “Por favor, faça a dor passar. Eu não consigo sozinha”.

            Assim como Jó, que perdeu toda a sua família e todos os seus bens, tive que suportar a dor. A bíblia nos fala que em nenhum momento Jó murmurou ou se virou contra Deus.  Aliás, quando em meio ao ápice do caos, sua mulher amaldiçoou a Deus, Jó a repreendeu, alertando-a que tudo o que ele possuía pertencia a Deus e que por isso Ele podia dar e tirar. Você consegue compreender a atitude de Jó?  Não haviam palavras nele para expressar sua dor, mas ainda assim ele glorificou o nome do Senhor. Jó perdera todos os seus filhos de uma única vez. Como lidar com tanta dor e ainda assim adorar a Deus?

O objetivo desse texto de hoje não é comparar a intensidade da dor. Cada um enfrenta seus problemas a sua maneira e uma mesma dificuldade atinge as pessoas de formas diferentes. O que quero passar para sua vida hoje é: É possível adorar a Deus em meio a dificuldade. Mesmo em meio as lágrimas e soluços, mesmo sem forças. Imagine Jó sentado próximo ao local onde era sua casa e coçando suas feridas com o caco de telha. Imagine-o se lembrando das vezes em que orava e sacrificava a Deus pela vida dos seus filhos e agora contemplando o túmulo deles. 

Mas ainda assim, em meio a tanta dor, Jó reconheceu a soberania de Deus sobre sua vida e seus bens. E Deus o recompensou por isso, devolvendo a Jó muito mais do que ele tinha. Talvez você esteja se perguntando agora sobre mim, sobre o que eu fiz com minha dor. Bom, depois de muito chorar, consegui balbuciar as primeiras palavras coerentes. Quando você passa experiências com Deus, você aprende a confiar nEle. Enxuguei minhas lágrimas e rendi graças ao Pai Celeste, aquele que é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Como Jó reconheci a soberania de Deus sobre minha vida e até mesmo sobre o meu problema. Ainda não recolhi minha recompensa, mas sei que Deus já está tratando disso também.

            Ufa! O texto de hoje foi grande, né? Mas creio que consegui passar meu objetivo aqui. Não importa a circunstância, adore a Deus. Lembre-se que mesmo quando parece não haver mais jeito, Deus está no controle de tudo. Está difícil? Adore a Deus. Está doendo? Adore a Deus. Está tudo bem? Adore a Deus. Tudo ruim? Adore a Deus. Adore a Deus. Adore a Deus. Não pare de adorar, não pare de exalta-lo. Adore, porque enquanto você adora, Deus trabalha em seu favor, te sustentando, cuidando do seu coração e te fortalecendo para que futuramente você possa colher a recompensa. Apenas confie e diga ao Senhor que “Nas tuas mãos estão os meus dias.” [Salmos 31.15a].

Que adorar a Deus seja o foco da sua vida em todos os momentos.